Literatura

“Um Mais Um”, da Jojo Moyes

Este é o primeiro livro da Jojo Moyes que leio. Talvez vocês não a conheçam por esta obra, mas sim pela suas outras obras mais famosas: Como Eu Era Antes de Você e A Garota Que Você Deixou Para Trás. Confesso que só não li estes outros livros ainda porque sempre que vejo a sinopse fico pensando: “nossa, deve ser triste” e desisto. Quero coisas alegres, gente! Aliás, já leram algo dela? Minha impressão de que todos os livros são tristes se concretiza?

Escolhi ler esse livro basicamente pela capa que achei linda (a família toda ali embaixo me faz lembrar daqueles adesivos de carro, sabem? Heh) e pelo fato de se passar no Reino Unido, parte na Inglaterra e parte na Escócia. Sim, tenho escolhido os livros que vou ler da seguinte forma: o escritor é britânico ou a história tem pelo menos um pézinho perto de Londres? Se sim, ok, entra pra fila de leitura, senão, parto por próximo XD Parece brincadeira, mas os três últimos livros que li antes desse se encaixam nesse fluxo: Nós (David Nicholls), Assassinato no Expresso do Oriente (Agatha Christie)Um Dia (David Nicholls).

Bora lá saber da história então?

O livro conta sobre a família de Jess Thomas de 20 e poucos anos, faxineira de casas de veraneio durante o dia e garçonete de um pub durante a noite, no litoral da Inglaterra. Ela tem dois filhos, a mais nova, Tanzie, é uma menina nerd apaixonada por matemática e Nicky, um menino gótico e quieto que sofre com bullying (na verdade ele é seu enteado, filho de seu ex-marido, Marty, com outra mulher). Ah! Não podemos nos esquecer de Norman, o cachorro babão quase do tamanho de uma vaca que eles tanto amam. Como tantas famílias criadas por apenas um dos pais, eles passam por dificuldades financeiras mas Jess é batalhadora e sempre dá conta tudo, utilizando-se da máxima “tudo vai ficar bem” e ela realmente tem esse poder.
Sua filha recebe a oportunidade de estudar em uma escola particular incrível com bolsa de 90%. Mas e os outros 10%? Como lidar com a diferença? Eis que surge uma Olimpíada de Matemática na Escócia que seria sua salvação… Mas… como chegar lá?

Enquanto isso, do outro lado, temos Ed Nicholls, um dos clientes de faxina de Jess. Um geek trintão, dono de uma empresa de desenvolvimento de softwares. Logo no início do livro, ele faz (sem saber bem como) uma burrada gigantesca e é denunciado por práticas ilegais envolvendo sua empresa.

A histórias são unidas quando ele acaba indo ao pub em que ela trabalha para afogar suas mágoas. Depois de ser ajudado pela garçonete mãe solteira e num impulso para fugir de seus problemas, ele oferece à família uma “carona”. E é aí que a história começa.

Não sei vocês, mas quando leio um road book como esse, eu viajo junto. Foi uma delícia acompanhá-los rumo à Escócia pelas estradas secundárias do país e ir conhecendo não só a paisagem como as manias de cada um. Aliás, me identifiquei bastante com algumas manias da Jess: entrar no carro como passageira e colocar os pés a) em cima do banco ou b) esticados no painel. Nem preciso dizer o quanto meu namorado odeia isso, né? Rs Além de outra mania frequente minha: mexer ou prender no cabelo quando estou nervosa/ansiosa. Quando não sei o que fazer com as mãos é batata: você me verá fazendo um coque ou uma trança, certeza.
Aos poucos fui me apaixonando por Ed e entendendo a dificuldade dele em lidar com os pais e o quanto a irmã exige dele (com razão). A gente também vai entendendo o peso que Jess tem que carregar nas costas e pensa logo em como ela precisaria relaxar, só isso.

Além de a história ser cativante, ela é bem fluida. Consegui me divertir bastante na primeira metade, ao mesmo passo que na segunda metade fiquei bastante angustiada em alguns momentos. O vocabulário é bem informal (lemos alguns palavrões e expressões como “peido” o tempo todo heh) e eu gosto assim! Os personagens se alternam para escrever o capítulos (que são curtos até, o livro todo tem cerca de 40 capítulos). Particularmente os trechos que mais gostei foram os de Ed. Os da Tanzie também são uma graça, porque ela relaciona tudo com números, inclusive acho que foi por essa característica que a me indicou A Probabilidade Estatística do Amor À Primeira Vista quando falei que estava adorando essa história da Jojo. Taí: entrou pra minha listinha de espera XD
Não posso falar sobre diagramação, pois li no Kobo. Inclusive, acostumei tanto com e-readers que to começando a estranhar quando leio um livro no papel, pasmem =P Aliás, estou devendo o post comparando meu Kobo Glo (obrigada, Taty!) com o Kobo Touch, né?

O enredo me fez pensar muito. Em valores familiares, na forma como lidamos com dinheiro. Logo no início,tem um trecho em que o Ed fala de um software que cobra centavos por transação e o quanto esse valor é baixo, mas Tanzie faz os cálculos e Jess logo mostra como as pessoas tem noções diferentes do que é ou não ser rico…

Só sei que gostei muito do andamento da história, li em menos de uma semana (pra mim isso quer dizer que li rápido, tá?) e o final foi uma grata surpresa.

Título: Um Mais Um (5/5)
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 320
ISBN: 9788580576542
Onde comprar: Buscapé

Mais um que recomendo de olhos fechados, viu?

Tem algum assunto que sempre que vocês veem que um livro fala sobre vocês ficam doidinhos pra ler? O meu definitivamente tá sendo viagens *-* se mais alguém sofre desse mal, compartilhem comigo o que estão lendo, por favor!

P.S.: o banner veio daqui.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply Leticia 9 de setembro de 2015 at 13:36

    ai, to louca pra ler esse livro! Assim que terminar minha meta de leitura pro ano vou ver 🙂 adorei sua resenha! Não é meu tipo de livro favorito, mas as vezes um romance familiar cai super bem. Bjs

  • Reply Tatiana Nais 9 de setembro de 2015 at 13:37

    Já li Como Eu Era Antes de Você, mas confesso que não fiquei muito afim de ler Um Mais Um de primeira. Apesar disso, depois de ler a sua resenha fiquei mais curiosa. Não tá no topo da minha lista, mas fiquei mais interessada. Beijo, Lí!

  • Reply Nary 9 de setembro de 2015 at 14:09

    Eu nunca li nada dela e confesso que "Como eu era antes de você" nunca me atraiu, o nome me lembra os livros de Nicholas Sparks q eu ODEIO! hahaha Mas esse eu fiquei super tentada a ler! 😀

  • Reply Patty 9 de setembro de 2015 at 16:25

    Nunca li nada da Jojo e nunca tive muita curiosidade, mas gostei desse aí! Vou colocar na fila de leitura, rs.
    Já que você curte livros com um pezinho na terra da rainha, recomendo um bem bonitinho da Jennifer E. Smith que se chama "The statistical probability of love at first sight".

    Beijocas

  • Reply Gabi 10 de setembro de 2015 at 03:19

    Pois então, Lívia, acho que esse é um dos únicos livros da Jojo que não é feito para chorar, mas mesmo assim sou apaixonada pela autora. Talvez eu goste de sofrer ou algo assim (HAHA credo!) mas adoro as histórias tristes dela. Ah sim, eu amei Um mais Um, claro, como não? Também viajo junto com os personagens nessas histórias, bem como você disse! E eu adorei o vocabulário bem informar dessa obra, bem diferente do que costumava conhecer dessa autora, e isso foi a prova de que eu amo tudo o que ela escreve haha <3

  • Reply Thay 10 de setembro de 2015 at 23:45

    O único livro da Jojo Moyes que li foi "Como eu era antes de você". Foi uma boa experiência, mesmo com o viés triste da história, e curti a maneira como a autora escreve. Acho que não demorei nem dois dias pra ler, foi super tranquilo (e com algumas lagriminhas no caminho, haha). Esse "Um mais um" eu já havia visto a capa, mas nunca parei pra reparar em qual era a da história. Sua resenha me deixou curiosa pra ler, vou dar uma procurada no livro! Um beijo. =)

  • Reply Tamirez 11 de setembro de 2015 at 00:03

    Ainda não li nada da Jojo, mas quero muito ler logo o Como eu era antes de você, antes que saia o filme!

    Beeijo http://resenhandosonhos.com

  • Reply Camila Mumic 11 de setembro de 2015 at 01:36

    Ah, que legal! Também não tô numa vibe de ler coisas tristes e queria ler um livro da Jojo. Vou colocar esse na lista, Livia!
    Um beijo :*

  • Reply Ana Carolina 11 de setembro de 2015 at 14:18

    Tenho vontade de ler alguma coisa da Jo Jo de tanto que vejo resenha por aí, mas sempre desisto porque também tenho essa impressão de que os livros dela são todos tristes. Haha.
    Fiquei curiosa com esse.

  • Leave a Reply