Diário, Vegetarianismo

Mas nem peixe? (ou como me tornei ovo-lacto-vegetariana)

No último dia 29 de setembro, completou um mês que parei oficialmente de comer carne.

Não pare agora de ler meu post achando que vou tentar fazer você tomar a mesma decisão, nem vou ser uma ecochata. Não tô aqui pra falar de amor aos animais e nem sobre os porquinhos do Rodoanel. Só vou compartilhar um pouquinho de como tá sendo pra mim, ok?

Apesar de eu nunca ter sido fã de carne vermelha, sempre curti muito frango (coxinha!) e peixe (comida japonesa <3). Não foi algo que aconteceu de uma hora pra outra, muito pelo contrário. Acredito, sim, que tudo tenha começado quando conheci o Dan e ele me contou que é vegetariano há 10 anos. Convivendo com ele há um ano já, eu pude vivenciar um pouco mais da rotina alimentar dele e ver que, não, ele não come só salada =P

Mesmo tendo influência, sim, minha decisão não é mérito 100% dele.

Vamos à minha historinha?

Tudo começou na véspera do Natal do ano passado. Acordei me sentindo meio febril e não parava de ir ao banheiro. Depois do almoço, o Daniel veio de Limeira e eu mal conseguia dar atenção pra ele, dormi sentada no sofá da sala tamanha a febre. Enrolei o máximo que pude, mas chegou uma hora em que cedi e deixei o Dan me levar pro hospital. Lá, depois de alguns exames e de ter sido reidratrada, recebi a notícia de que estava com uma infecção gastrointestinal bastante grave e teria que ficar internada (sei que tem muita gente que nem liga, mas eu adoro o Natal. Adoro ajudar minha mãe na ceia e receber minha avó em casa). Imaginem que meu namorado mal conhecia meus pais, era nosso primeiro final de ano juntos, ele mal conhecia minha cidade e teve que voltar pra minha casa sozinho, explicar pra minha família o que estava acontecendo comigo. Obrigada por não ter desistido de mim, Dan <3 AHAHAH
Enfim, o resumo disso tudo é que passei minha noite de Natal internada e sozinha, por culpa de um maldito salame estragado.

Minha ceia de Natal (juro)

Minha ceia de Natal (juro)

Desde então decidi que não ia comer mais embutidos. Sim, eu sei que “dei azar” quanto ao salame, mas cismei. Não podia mais nem sentir o cheiro. Nada de salame, presunto, salsicha, linguiça e até meu amado peito de peru. No início achei que faria falta mas – surpresa – não me fez falta alguma.

Aos poucos fui deixando de lado a carne vermelha (afinal, eu nunca gostei mesmo!) mas continuava firme e forte com a carne branca. Até que um dia surgiu um papo que se resume à imagem abaixo:

Se os nuggets realmente são feitos de pintinhos vivos eu não sei, mas não quero pagar pra ver, não.

Se os nuggets realmente são feitos de pintinhos vivos eu não sei, mas não quero pagar pra ver, não.

E foi aí que amadureci a ideia e decidi para de vez com a carne. Tenho ainda alguns pontos pra esclarecer comigo mesma (por exemplo: vou ou não vou parar com ovos, leite e derivados?) mas vamos com calma.
O mais bacana é que a Kátia também decidiu ter uma dieta ovo-lacto-vegetariana, exatamente no mesmo dia que eu. É legal porque vamos trocando experiências e receitas. Aliás, ela também postou sobre isso recentemente. E hoje li uma indicação de livro bastante interessante da Leticia, que também não come carne.

A parte mais difícil de não comer carne: perguntas engraçadinhas

A parte mais difícil de não comer carne: perguntas engraçadinhas

  • “Se você não come carne ninguém na mesa pode comer?” Não, eu não espero que você não coma uma picanha na minha frente só por eu não aprovar.
  • “Mas você come o feijão se foi temperado com bacon?” Sim, eu tiro o que não quero e pronto. No começo eu pegava até a cebola do bife (hoje tenho nojo) e sim, pode pedir pizza com presunto que o tiro do meu pedaço, sem problemas (por enquanto).
  • “Ahhh, mas e a sua saúde?” Eu já fiz exames e sei que está tudo ok comigo (menos a tireóide e por isso mesmo já marquei consulta com um endocrinologista)
  • “Hum, você sabe que as granjas podem ser cruéis com as galinhas, né?” Então, talvez eu deixe de consumir derivados de leite e ovos, mas por enquanto ainda estou me adaptando a essa vida sem carne
  • “E os testes em animais?” Pois é… estou pesquisando sobre cosméticos cruelty free e tentando raciocinar melhor sobre o que fazer diante disso.

Outro lado bacana disso todo é que estou mais aberta a experimentar sabores. Hoje em dia adoro vagem e antes nem podia me imaginar comendo. Tenho comido bastante grão de bico e tô doida pra testar essa receita de falafel (é tipo um nugget). Já tinha aprendido a gostar de verduras e legumes, então não foi tão difícil por conta disso. Uma página legal que sempre me inspira nas receitas é a Revista Vegetarianos. Tem umas fotos extremamente apetitosas!
É óbvio que preciso me inteirar muito ainda no assunto e aprender mais sobre o que está por trás disso mas essa é uma decisão da qual não me arrependo, viu?
Se tiverem alguma dúvida sobre o assunto, essa é a hora 🙂 assim eu aprendo e trago a informação também.

(e um obrigada gigante ao Dan por, de uma forma ou de outra, ter me apresentado essa nova forma de vida)

Previous Post Next Post

You Might Also Like

12 Comments

  • Reply Marina Pereira 7 de outubro de 2015 at 09:37

    Ei!

    Eu também sou ovo-lacto e me identifiquei bastante com a sua história. A diferença é que tomei essa decisão aos 12 anos. Não me privo de nada por não comer carne… as pessoas não entendem isso! Incrível, né?
    Eu e meu namorado vamos a restaurantes da mesma forma, barzinhos, comemos de tudo juntos. Só que “ele come a carne e eu como a batata”.

    Beijo!

    http://www.espelhoepassarela.com

  • Reply Patthy 7 de outubro de 2015 at 09:39

    Se eu fosse vegetariana e ouvisse o clássico “nem peixe?” talvez respondesse “adoro peixe, especialmente quando as folhas estão crocantes ¬¬”.
    Não sei o quanto você já ganhou em qualidade de vida, mas um dos pontos positivos que percebi foi: você foi ao médico e finalmente vai consultar um endócrino depois de pelo menos 2 anos reclamando de sintomas. o/
    Ah, você conhece o canal Presunto Vegetariano no youtube? Não sei se já comentei a respeito, mas tem bastante coisa interessante.

  • Reply 7 de outubro de 2015 at 10:35

    Cara, o máximo que já tentei foi ficar duas semanas sem comer carne e olha eu não consegui, por mais que eu veja essas coisas do tipo que as pessoas colocam na internet de como a carne é processada e até dessa imagem dos nuggets eu simplesmente não consigo deixar de comer carne kkk
    Queria ter força pra largar

  • Reply Renata 7 de outubro de 2015 at 12:33

    Pra que eu me tornasse vegetariana eu teria que mudar toda minha alimentação. Amo muito carne vermelha, mas tem dias que eu troco de boas pela branca, mas não consigo comer verduras e legumes.
    Esse ano eu tive um problema e fiquei sem comer coisas derivadas do leite por um certo tempo e era chato ver meus amigos não querendo sair pra certos lugares (sorveteria, p ex) só porque eu não poderia comer. Não me importava, só não iria comer.
    Admiro quem muda os hábitos, visando uma vida mais saudável.
    ;*

  • Reply Tatiana 7 de outubro de 2015 at 13:25

    Não sinto tanta falta de carne no geral, mas só não desapego completamente porque meu amor por bacon e comida japonesa não me deixam. 🙁 Bacon acho que até conseguiria parar de comer, mas comida japonesa eu amo demais. Mesmo assim vale a pena tentar diminuir ao máximo, né? Acho super legal isso e admiro muito você por tentar e estar conseguindo manter esse hábito. Beijo, Lí!

  • Reply Gabriela 7 de outubro de 2015 at 14:02

    Também sou ovo-lacto e não me arrependo nenhum um pouco dessa decisão! E realmente a parte mais difícil é ter que ficar se explicando pra amigos e familiares. http://www.alemdolookdodia.com

  • Reply Leticia 7 de outubro de 2015 at 23:00

    amei o post! Inclusive tô em dúvida se já comentei pq li ele de tarde e voltei pra palpitar agora (memória manda lembranças). Mas enfim, bem vinda ao time \o/
    Esse negócio de experimentar novos sabores é maravilhoso! Tô descobrindo tanta coisa boa tbm! Engraçado vc citar vagem pq eu achava zoado, e hoje em dia gosto muito. Vagem refogada na cebola com shoyu, meldelsss que coisa boa :9
    Já respondi 82108201 vezes que não, nem peixe. Inclusive já tive que explicar porque eu tenho dó de animais mas não tenho dó de matar alfaces (!!!!!!!)
    A questão do ovo e do leite comigo é mais gradual também. Eu cortei uma grande parte (especialmente ovo), mas essa transição ainda está em andamento… Gostei do seu post, talvez eu faça um também 😀
    Bjs!

  • Reply Bessie B 8 de outubro de 2015 at 14:40

    Adoro legumes e adoro experimentar versões vegetarianas, mas nunca tive o insight de me tornar uma. Acho que ia me sentir hipocrita usando uma bolsa de couro e evitando comer outros animais. Mas também não sou super fã de carne vermelha não, apesar de ter uns pratos que são nostálgicos e acolhedores, acabo preferindo uma berinjela empanada a um bife. Boa sorte na tua jornada ❤️

  • Reply Bia 9 de outubro de 2015 at 11:11

    Que legal Lívia!! Fui vegetariana total por 4 anos! Voltei a comer somente peixe, pois além de ser vegetariana, não me alimentava direito (erro meu :(), foi tão bizarro que meu corpo pedia por peixe, teve uma semana que eu comi 2x por dia todos os dias, por falta de proteína (de novo, por falha minha). Quero muito aos poucos parar de comer peixe de novo! Carne vermelha e de frango nem pensar! Tenho nojo de comer MESMO.
    Apoio muito sua causa!!

    bjão!

  • Reply Isabele 10 de outubro de 2015 at 12:35

    Eu to querendo tanto aderir definitivamente a essa dieta. Eu já fiquei um mês apenas nessa dieta ovo-lacto-vegetariana e me senti super bem. Nem sei pq não dei continuidade.

  • Reply Manu 12 de outubro de 2015 at 20:20

    Que bacana, Livs! Por três anos eu fui – praticamente – vegetariana e não sentia falta nenhuma de carne. Eu estudava em um colégio interno e lá a dieta era vegetariana, então acabava comendo carne duas vezes por ano, quando ia para casa passar as férias, mas acabava não me caindo bem, então eu evitava. Adoro carne de soja, e hoje em dia evito carne vermelha durante a semana.
    Acho que a saúde agradece demais, faz muita diferença na vida. Continua contando sua experiência, vou adorar acompanhar!
    bjs!! :))
    Manu
    http://manuetudomais.blogspot.com.br/

  • Reply Isa 3 de abril de 2017 at 18:30

    oie! tava louca pra ser seu post sobre a decisão, finalmente consegui um tempinho 🙂
    primeiro: menina, que loucura isso do salame, que perigo!
    sobre a sua/nossa atitude: esse gráfico me representa. hahaha! eu queria mesmo conseguir entender pq as pessoas se sentem no direito de meter o bedelho na minha ‘dieta’ sendo que eu nunca-nunca-nunquinha falei pra alguém “olha, eu acho que vc deveria parar de comer carne!”. como eu disse lá no blog pra vc: eu já mostrei como eu me sinto MELHOR sem carne, isso, sim. eu durmo melhor, acordo mais bem disposta, minha digestão é 90281928190829122X melhor e eu diria até que meu humor melhorou. e sobre a comida em si: continuo achando tudo deliciosos e estou sempre descobrindo sabores novos, sim. e gostando cada vez mais de cozinhar também! o grão-de-bico virou meu melhor amigo e eu tô DOIDA pra testar uma receita com a aquafaba, a água de cozimento dele, vc já viu isso? menina, parece magia.
    do resto, é isso aí: sobreviver aos enxeridos e fazer exames periódicos pra ver se está tudo certinho – mas isso é independente de vegetarianos, veganos ou carnívoros, não é mesmo?

    e vamos nos falando sobre o assunto, temos muitas figurinhas pra trocar! 🙂

    beijos!

  • Leave a Reply