Viagem

Londres – London Eye e o rio Tâmisa

Em todas as três cidades que tive a oportunidade de visitar, meus passeios preferidos foram os em que eu passeei pela cidade sem me preocupar com horários nem com onde ir. E em Londres foi extamente assim, me deixei ser totalmente guiada pelo namorado. No mesmo dia em que visitamos o British Museum, o Daniel me perguntou: “quer ir ver a London Eye?” E fomos. Caminhando tranquilamente pela cidade, parando em um Tesco pra comprar água e Kit Kats a preço de banana (juro: 1 libra por 6 embalagens) de vez em quando.

Passar pelas pontes que eu só via em filmes e ficar ali, só observando o Rio Tâmisa passar, foi inesquecível. O Dan me contou que o rio que corta Londres já foi mais poluído que o Tietê e fiquei impressionada ao saber disso porque não parece, de tão limpa que a cidade e o rio são (btw, estar com meu namorado é praticamente ter um show de curiosidades ambulante por perto rs adoro, de verdade!). Mas, voltando ao River Thames, houve uma época (século 19) em que ele era conhecido como Grande Mau Cheiro de tão poluído que era (inclusive sessões do Parlamento – que é ali pertinho – tiveram que ser interrompidas por conta do cheiro insuportável). Foi um caso de sucesso de um rio biologicamente morto que reviveu em cerca de 50 anos. Ponto para a Prefeitura de Londres e a Thames Water (empresa de saneamento)!

Foto maravilhosa da London Eye pelo Our Escapades

Foto maravilhosa da London Eye pelo Our Escapades, tão entendendo o quanto esse lugar é incrível?

Eu simplesmente AMEI esse pedacinho de Londres e o Tâmisa ainda deve aparecer em vários outros posts por aqui. Um dos melhores momentos da viagem toda foi ficarmos sentados em um dos muitos bancos na margem do rio vendo a vida passar.
Aliás, algo que me surpreendeu muito em Londres foi o quanto os moradores gostam de correr (e pudemos observar isso de perto não só nos parques – tema do próximo post – como também no entorno do rio). A maioria corre com uma mochila pequena nas costas onde eu imagino que fiquem guardados a roupa e o sapato que suaram pra trabalhar. O que percebemos é que eles descem do metrô antes do ponto em que deveriam descer, se trocam e vão correndo até o destino final. Um exemplo pra quem (como eu) arranja mil e uma desculpas de não ter tempo/lugar para praticar uma atividade física.

Para chegar à London Eye (me recuso a chamar de “Olho de Londres”, desculpaê) acabamos passando pela Waterloo Bridge e parando para tirar fotos (apesar da altura amendrontadora – obrigada, Dan <3). A ponte recebeu esse nome em homenagem à vitória britânica na Batalha de Waterloo (sim, a mesma batalha citada na música do Abba, dá até pra ver Napoleão no clipe AHAHAH) e tem uma vista imperdível. Inclusive essa é uma das minhas fotos favoritas de Londres <3 (sim, tava ventando pra cacete)

Waterloo Bridge e mais uma cara de feliz, um oferecimento exclusivo da melhor cidade do mundo <3

Waterloo Bridge e mais uma cara de feliz, um oferecimento exclusivo da melhor cidade do mundo <3

Inclusive passamos por outras pontes como a Westminster Bridge (visão mais próxima da roda-gigante) e a Lambeth Bridge (mais afastada).

Lambeth Bridge e o Dan contemplando o Rio Tâmisa

Lambeth Bridge e o Dan contemplando o Rio Tâmisa

Westminster Bridge. Olha a ciclista ali no cantinho *-*

Westminster Bridge. Olha a ciclista ali no cantinho *-*

Quando chegamos ao outro lado nos rendemos ao cansaço e ficamos sentados um booom tempo, só vendo a London Eye em meio aos raios de sol daquela tarde fria.

London Eye. Apesar dessa foto ter sido um #epicfail, eu AMEI o sol no meio das estruturas metálicas, me deixem.

Apesar dessa foto ter sido um #epicfail, eu AMEI o sol no meio das estruturas metálicas, me deixem.

Essa roda-gigante de observação de 135 metros de altura foi inaugurada em 2000 e também é conhecida como Millenium  Wheel. Sua construção teve uma história parecida com a da Torre Eiffel: tudo surgiu através de uma competição porém existiram taaantos contratempos que quase que tudo foi por água a baixo.
Mas o que importa é que o que era para ser provisório acabou ficando na margem do sul do Tâmisa indefinidamente e pude ter o prazer de ver beeem de perto. Novamente, optamos por não subir (sim, medo de altura), o que me deixa triste porque deve ser lindo ver Londres lá de cima.

Essa foto é só pra você terem uma idéia do quão gigante a roda é. Olhem o tamanhinho das cabines...

Essa foto é só pra você terem uma idéia do quão gigante a roda é. Olhem o tamanhinho das cabines… (foto da Wikipedia)

Funcionamento: todos os dias, das 10h às 20h30
Entrada: comprando online, começam em 20 libras
Localização: London SE1 7PB, Reino Unido

Talvez eu seja inocente demais ou tenha dado sorte mas me senti extremamente segura mesmo em um lugar bastante turístico da cidade. Eu contava minhas libras para comprar fritas do Mc Donald’s ali, perto da fila de turistas, sem medo. E olha que eu me demorava, viu? (pensa em uma moeda difícil de entender… é a libra! as figuras são lindas mas tive muita dificuldade de enxergar os números heh). Foi uma sensação ótima. Eu não teria coragem de tirar nem 10 euros da carteira enquanto estava nas margens do rio Sena, por exemplo (dsclp, Paris).

Depois de passar essa tarde delicinha, voltamos pro hostel e nos acabamos comendo o que tínhamos comprado no Marks & Spencer heh

Nosso jantar típico em Londres

Nosso jantar típico em Londres: pãozinho do Tesco que sobrou do ~almoço~, couve-flor com queijo, purê de batata e cenourinhas temperadas. Ah! Essa pink lemonade diet que era a “bebida” mais barata do mercado. Comemos bem até, vai!

No próximo post eu vou contar sobre os parques maravilhosos que visitei lá: Hyde e Regent’s Park. Spoiler alert: maior frio que já passei na minha vida! HAHAAH

Esse post faz parte da série Marinheira de Primeira Viagem, onde conto um pouquinho sobre meu planejamento e a viagem dos meus sonhos para a Europa (minha primeira viagem internacional, organizada de forma totalmente independente, praticamente um mochilão).

Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Isabele 20 de novembro de 2015 at 11:40

    Livs, até agora esse foi o post mais delícia de ler, sobre sua viagem. Talvez porque foi sobre o dia menos despretensioso. 😀
    Meu sonho conhecer essa cidade.
    Beijinhos.

    • Reply Isabele 22 de novembro de 2015 at 21:40

      *mais despretensioso

  • Reply Vanessa Bayer 20 de novembro de 2015 at 16:18

    Que fotos e post maravilhoso, da vontade de entrar nas fotos e passear por Londres! Deve ter sido uma dia maravilhoso. Amei! Beijoos linda ♡

  • Reply KARINE 21 de novembro de 2015 at 12:13

    Sonho, sonho, sonho!
    E nem sonhava que esse rio já foi poluído assim. Nessas horas (pensando no Tietê e no Rio Pinheiros) que a gente sente um tapa na cara entre um país que funciona versus o nosso, é foda, né? Btw, lugar incrível. Tenho a impressão que só de andar e Londres, mesmo não fazendo nada, sabe? Só andar e se perder nas ruinhas, aproveitar a paisagem, já e tipo uma coisa absurdamente incrível.

  • Reply Tatiana 24 de novembro de 2015 at 15:56

    Já cansei de falar que amo essa série de posts, mas essa foto de London Eye ganha como a foto mais maravilhosa do mundo. Parece uma pintura, perfeita demais. <3

  • Reply kamii 3 de março de 2016 at 18:07

    Pink cramberry lemonade? O quão incrível isso parece! Quero muito! *O*
    E gente quantas pontes hahahahaha Andar sem presa é realmente é ótimo para apreciar mais a viagem, é uma pena que se eu fosse tão devagar quanto gostaria não conheceria nada hahahaha
    E não sabia isso do rio ser poluído, achei super interessante, alô São Paulo, começa a dar jeito nesse tiete! :B

  • Reply Camila Tuan 23 de março de 2016 at 20:36

    Amo posts sobre viagem, já que amo viajar.
    Menina, a primeira coisa que eu ia querer fazer, seria subir na London Eye, eu gosto de altura uahuahaua.

    Beijos

  • Reply Alojamiento 26 de maio de 2016 at 14:01

    Alguns metros rio abaixo, veja a Millennium Wheel, mais conhecida como o London Eye. Em um giro de 25 minutos, ele oferece uma vista espetacular de Londres e muito alem.

  • Leave a Reply