Viagem

Roma – a maravilha incrível que é o Coliseu

Quando paro pra pensar que em maio fará um ano que viajei fico besta de ver o quanto o tempo voou e o quanto ainda lembro da experiência como se fosse hoje… acontece isso com você também? Digo isso porque parando para escrever esse post, me lembrei da sensação de andar por aquele sítio histórico incrível… eu não sabia para onde olhar, de tantas coisas maravilhosas que estava vendo!

Neste dia, nosso penúltimo em Roma, acordamos cedo, tomamos um belo cioccolato com um cornetto de Nutela no Ciao Bella e bora pegar o metrô pela primeira vez em terras italianas. Já tínhamos chego próximo ao Coliseu caminhando do Vaticano até lá (o que dá cerca de 1h, sem contar as paradas pra ficar de queixo caído), mas estávamos quase no final da viagem e meu pé pediu arrego de vez, por isso fomos de metrô. Deixa eu explicar direitinho: fui viajar com bolhas gigantescas nos pés por conta de uma sapatilha assassina. Cuidei delas direitinho, mas depois de uns 10 dias, elas voltaram a doer e fiquei na dependência do esparadrapo com algodão para protege-las.

Saindo da estação Coloseo, não tem erro: você dá de cara com uma das cenas mais lindas que vi na viagem toda *-* Sugiro do fundo do coração ir na escadinha que na primavera fica toda florida e tirar uma foto no mesmo esquemão que o meu. O contraste da rispidez do monumento com a delicadeza das flores é magnífico <3

Coliseu e as flores

Falem o que quiser, mas fico tão orgulhosa toda vez que vejo essa foto *-* A vista é da saída da estação Coloseo.

O Coliseu é um anfiteatro com capacidade para cerca de 50 mil pessoas construído no primeiro século e também é conhecido por Amphitheatrum Flavium. Foi utilizado por cerca de 400 anos como ~entretenimento~, abrigando combates de gladiadores, lutas de animais, execuções e caçadas (venatio). Os espetáculos muitas vezes eram feitos para “acalmar” a população e tirar o foco dos problemas do Governo. Política do pão e circo, manja? não muito diferente do que vemos hoje em dia

Em frente ao Coliseu

Namorado e eu, porque certos momentos TEM que ser registrados! Vejam bem que não está tão cheio assim, né?

Detalhe importante que antes de irmos viajar o Daniel sugeriu assistirmos o filme Gladiador, até mesmo pra eu me familiarizar com o que esse monumento representava na época do Império Romano (porque ele é a metade do casal que manja muito de História e eu sou a que nunca lembra nada). E foi ótimo ter visto o filme, viu? Me ajudou a imaginar melhor os acontecimentos e no final das contas, mesmo não concordando com os ~eventos~ realizados por lá, é impossível não ficar boquiaberto observando (tanto o filme quanto o monumento em si).

Coliseu por dentro

Não vimos por dentro, mas segundo a Wikipedia, é assim que ele se parece 🙂

Funcionamento: todos os dias, abrindo às 8h30, mas com horários de fechamento variados (entre 16h30 e 19h15)
Entrada: 12 euros, é o mesmo do Foro Romano (centro comercial da Roma Antiga) e do Palatino (monte no qual acredita-se ter se originado a cidade). O ideal é evitar as filas e comprar o ingresso no Palatino, pois a maioria dos turistas não manja que é o mesmo ticket, entende?
Localização: Piazza del Colosseo, Roma, Itália
http://archeoroma.beniculturali.it/

Entorno do Coliseu, Palatino e Foro Romano

Já que não entramos no Foro e no Palatino, o jeito foi acompanhar pela grade próxima do Coliseu. Fomos subindo até uma igrejinha (linda!) e quando eu estava fazendo uma prezepada, Daniel não perdoou rs

Nós particularmente optamos por não entrar. Seria uma visita maravilhosa, mas eu estava mais chata por conta do pé e não aproveitaria. Além de ter feito um calor digno de verão Limeirense 😛

Foro Romano e Palatino

A vista das ruínas de Roma Antiga. Que coisa maravilhosa!

Ali do ladinho também tem o Arco de Constantino (erguido em comemoração à Batalha da Ponte Mílvio). Aproveitamos uma sombra para sentarmos um pouquinho e imaginar o quanto deve ser excitante para alguém que estudou História ou Arquitetura estar nesse lugar. Meu, foi ali que tudo aconteceu, sabe? São essas construções que nos inspiram até hoje (e ainda estão de pé!). Indescritível.

Arco de Constantino

Arco de Constantino. Incrível ver como as construções ainda estão relativamente bem conservadas, não?

Indico aqui para vocês os posts do 360 Meridianos, que estão bastante completos quanto ao que encontrar dentro dessas relíquias: Foro Romano e Coliseu.

E foi assim que terminamos o passeio: cansados mas encantados! E nada como voltar para o Camping Village e comer deliciosamente bem no Ciao Bella… Hummm!

E afirmo com toda certeza de que junto ao Vaticano, esse foi meu pedacinho preferido de Roma <3

Esse post faz parte da série Marinheira de Primeira Viagem, onde conto um pouquinho sobre meu planejamento e a viagem dos meus sonhos para a Europa (minha primeira viagem internacional, organizada de forma totalmente independente, praticamente um mochilão).

Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Patthy 12 de abril de 2016 at 10:57

    Nossa, eu ia te falar mesmo que essa foto que abre o post tá a coisa mais linda. <3
    Trivia: antes de alguma aula de história da arte num passado distante eu achava que o Coliseu era "oco", sabe? Acho que foi influência dos estádios de futebol modernos, que me fizeram imaginar um ~descampado~ que me deixou tipo "uaaai, e onde aconteciam as coisas?". Ainda depoois que me toquei que era o subterrâneo – que não está mais tão SUB assim. heh
    Mas a pergunta que fica é: o que tu tava fazendo na grade?

    • Reply Lívia 27 de abril de 2016 at 12:17

      Sobre a grade, olha, não lembro rs
      E eu tbm achava que era meio oco! Aliás, escrevendo o post descobri que as arenas do futebol chamam-se arenas pr causa desse tip de construção, né? (manjo nada, mas foi o que entendi)

  • Reply Lu Cruz 14 de abril de 2016 at 11:01

    Nossa, esse lugar deve ser realmente a coisa mais emocionante da vida. Sofro do mesmo problema com sapatos assassinos 🙁 tenho uma facilidade enorme em ficar com o pé machucado. A solução que encontrei, na minha última viagem, foi usar um tênis um número maior, com duas meias. Ok, era um tênis feioso, mas meus pezinhos ficavam bem, mesmo caminhando 15km por dia por uma semana inteira. Adotei a técnica pra vida inteira agora! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

    • Reply Lívia 27 de abril de 2016 at 12:18

      Mas e o calor, Luh? Fiquei pensando nisso de duas meias, mas acho que me incomodaria. De qualquer forma, vale a tentativa! o máximo que pode acontecer é tirar uma delas no meio do caminho heh

  • Reply Thay 19 de abril de 2016 at 15:11

    Taí outro lugar que vai me fazer chorar quando eu o visitar! Ainda mais que aqui tem o combo arquiteta + apaixonada por história! Só de pensar nas técnicas construtivas utilizadas, no que o Coliseu significava… nossa, vou chorar, nem tenho dúvidas, hahaha! Não sei se você já assistiu How I Met Your Mother, mas para arquitetura eu sou tipo o Ted Mosby: abraço os prédios sem vergonha alguma. E ó, tua foto saída da estação tá digna, hein? Lindíssima! <33

    • Reply Lívia 27 de abril de 2016 at 12:19

      Então! Eu passava pelos lugares sempre pensando em como devia ser pra um arquiteto ou um historiador estar lá…
      Quando for a sua vez, quero relatos no blog, hein? rs

  • Reply Poly 19 de abril de 2016 at 18:30

    Que lindo!!!
    Você visitou lugares bonitos bagarai na sua viagem, mas o Coliseu é o mais bonito deles, com certeza. E olha que nem está no meu roteiro de viagem rs
    Que nada, o Coliseu por dentro é como mostra no filme Lizzie McGuire huahuahuahuah XD (não resisti!)
    Bjuxxxxx

    • Reply Lívia 27 de abril de 2016 at 12:20

      Não assisti Lizzie McGuire, Poly! Acredita? rs

    Leave a Reply