Diário

Is this the real life? #bandiloucameeting

Quanto tempo tem durado sua amizade mais antiga? 2, 5, 10 anos? Pense um pouquinho…
Eu nunca fui de ter amizades muito duradouras. Um pouco pelo fato de eu não me esforçar tanto pra cultivar a amizade. Não sei, gosto dessa coisa mais livre, de não ter que conversar o tempo todo, nem de ficar ressentida se meu aniversário não for lembrado. Não exijo dos meus amigos aquilo que sei que não vou conseguir cumprir.
Mas às vezes acontece de as pessoas me cativarem de uma forma que fico querendo conversar o tempo todo, contar cada besteirinha que me aconteceu e celebrar cada conquista delas.
É assim com o bandilouca.

Foram uns 7 anos de amizade a distância para no minuto em que nos vermos sentirmos que não tinha como aquilo tudo não ser real. Aliás, nem precisávamos nos ver pra isso. Mas conhecê-las agora pessoalmente faz com que tudo seja mais factível, mais palpável e OMG, EU ESTIVE NA CASA DA LUIZETE! 😛

Bandilouca na Casa das Rosas

Passando um frio do cacete na Casa das Rosas. Notem que formamos sempre parzinhos: duas ruivas, duas de shorts, duas sem blusa, enfim, cêis entenderam.

Demorou pro nosso encontreenho sair do papel (ou deveria dizer “das planilhas”?), coisa de mais de ano, diga-se de passagem, mas na última sexta-feira 13, agora em maio, ele finalmente aconteceu! (com brindes patrocinados pela Dra. Costrícia Posta, inclusive #publi)

Precisávamos achar um lugar ligeiramente de fácil acesso pra todas já que a Patthy é de Ribeirão Preto/SP, a Taty é de Alfenas/MG, eu sou de Jundiaí/SP e a Luh é da capital paulista. Acabamos indo pro óbvio e a maravilhosa da Avenida Paulista virou nosso QG por um fim de semana (quer dizer, a Luh continuou no quarto espelhada dela #sddsVersalhes, mas as três forasteiras aqui ficaram quase em frente ao prédio da Gazeta #amomuitoesselugar). #alokadashashtags #pelomenosseiusardireito #sqn

Mas e sobre o encontro em si? Não sei nem o que dizer, só sentir <3 Foi emocionante ver a jaqueta maravilhosa da Luizete de perto. Ouvir o sotaque da Tatiénne ao vivo. Ler o tweet da GG e saber que era verdade que ela tinha acordado antes das 8h num sábado, como eu.

Bandilouca no Ibirapuera

Nossa primeira foto juntas e a sensação de QQ TA CONTESENU.

Eram anos e anos de memes e piadas internas acumuladas. Nosso desafio pessoal era usar isso tudo em um único final de semana (e dentro do contexto) e, ó, não é nosso aniversário mas estamos de parabéns.

Foi incrível estarmos conversando em tempo real, ao vivo e a cores. Sobre nossos seriados. Sobre o quanto o Stefan é banana. E o quanto é problemática a transformação da Fera em Erik humano no final do filme (juro que pra mim o nome dele era Erik, mas Luh me corrigiu, tks). De como Luizete cresceu-agora-é-mulher e já está no último ano da faculdade (gente, eu ~conheci~ essa criatura ainda no ginásio, cêis tem noção? Aliás, vocês já perceberam que a pessoa aqui denuncia a idade quando usa termos como colegial e ginásio, né não?). O rodízio de brigadeiros e a Ponte das Amoras. E a mala, ah, o que dizer da mala?

Milkshake do bandilouca

Maracujá, leite Ninho, chocomenta e churros. Algum palpite de qual é o meu?

Super recomendo que vocês leiam o post da Patthy no Imaginalinda, da Taty no Enfim Beleza e da Luh no Miniatura de Perfume (ERROR 404! assim que ela postar atualizo, ok?) pra ver todos os pontos de vista sobre essa incrível jornada.

Alguns comentários semi-aleatórios (porque sou mimitona da GG e enrolei tanto pra escrever o post que escrevi quando já tinha lido o das outras)

  • Usar o Uber não é tão fácil assim como dizem (ainda mais quando nem táxi você está acostumada a pegar – oi!). Dá medo do motorista não te achar, dá medo de entrar no carro errado e dá medo principalmente dos taxistas te baterem. Mas foi ótimo! Motoristas bonzinhos que quase nunca interagem com você (a menos que você dê abertura a isso). Depois da primeira vez foi sucesso.
  • Alugamos o apê pelo AirBnb (quédizê, GG quem tomou conta dos paranauês todos). O apartarmento do Anselmo (quirido, deixou bombons da Caucau Show como um welcome food (?) extremamente úteis pro nosso pós-baladjênha) era no 19º andar. E daí que tinham dois elevadores: um pros andares pares e outros pros ímpares, oi? Só fomos entender direito isso quando o moço da portaria falou que um estava quebrado e tínhamos que subir até o 20 e descer um lance de escada. Imagina isso mais de meia-noite. E com uma fucking mala de rodinhas?! AHAHA
  • Eu NUNCA vou precisar botar um cigarro na boca pra saber como é fumar já que devido ao inferninho que estava o John’s Irish Pub ficamos na área de fumantes. Diria que não recomendo mas, ó, dependendo da companhia, recomendo muito! Valeu a pena #tudovaleapenaquandoaalmanãoépequena
  • Hambúrgueres de grão de bico demoram pelo menos 30 minutos a mais pra ficar prontos do que os de carne no pub. Porém, salsichas de soja ficam prontas rapidinho no Black Dog. (mas, ó, enquanto que a salsichas tem gosto de isopor temperado, o hambúrguer é algo do qual me lembrarei pra vida toda)
  • Aliás², felicidade define as meninas terem gostado do Blackinho <3 obrigada, Kátia! (que merece menção honrosa pela ajudinha) Não sei se foi a fome, a canseira ou a calmaria do lugar, mas foi exatamente do que a gente precisava.
  • Aliás³, obrigada amiga-da-Luh-que-fez-o-mapa-da-Liberdade. Uma pena que não nos achamos lá. Lotada igual a 25 de março. Só valeu pelo sensacional mercado Marukai <3
  • Eu achava que eu pirava em livrarias. Mas ~pessoas ~ que cursam editoração é que piram loucamente em livrarias, eu sou fichinha.
  • Piriguete que é piriguete não sente frio nas pernas a menos que seja na Casa das Rosas =B (frio da porra, minha gente! cêis não tem noção)
  • É maravilhoso ser econômica na mala, não me arrependo. Mas é foda ter uma jaqueta de couro que não cabe mais na mochila e que você pre-ci-sa levar pra casa porque, né.
  • Não tem jeito: o sentimento de “vamos cuidar das miguxinhas mais novas” aflorou bonito nas coleguinhas mais velhas. Instintivamente a gente sabia que a Luh e a Taty eram nossa responsabilidade, entende? Coisa fofa de se ver.
  • Quando a gente não tem muita experiência dirigindo, a gente sente mais medo de estacionar do que de andar, faz sentido, Luh? E carros vermelhos ruleiam *-*
  • A primeira vez no metrô (ui) é inesquecível, ainda mais se for na estação Paulista (que fica na Consoloção, como sempre sou lembrada) porque, ó, tô pra ver estação mais confusa, benzadeus.

E sabe o que foi o mais estranho de tudo isso? Não ter sido estranho at all. Estranho foi acordar na segunda e ver que minhas roomies não estavam mais comigo e nem que íamos andar por km e km ouvindo as duas 9nhas reclamando 😀

Só sei que valeu cada bolha nos pés, cada músculo dolorido. Faria de novo e faria muito mais!

Obrigada pelo final de semana incrível, suas lindas! Nós somos demais <3

Bandilouca no Lollapalooza

Florências wannabe #rumoaoLollapalooza #somostodasflorzinhas

Um beijo!

P.S.: este post também poderia chamar “um ode ao Excel” ou “e eu que tô com a mala?”, just for the record.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply Turminha do barulho | IMAGINATIF 23 de maio de 2016 at 22:27

    […] eu fosse vocês eu leria os posts da Tatiénne, da Livoneta e da Luizete, outros três pontos de vista incríveis sobre o supracitado […]

  • Reply Patthy 24 de maio de 2016 at 09:12

    A cada post que eu ler vou lembrar de coisas que eu queria comentar e esqueci. #sinceridades
    (Aliás, acabo de cair na real de que somos gêmeas há praticamente dez fucking anos. 100or.)
    Eu ia fazer toda uma sessão no meu post sobre a “teoria das duas metades” (foi assim que nomeei a coisa do parzinho), mas já estava muito longo. Mesmo que não poste, acho que vou escrever para defender a tese no próximo bmeeting. =B
    COMO QUE EU ESQUECI DE FALAR DOS DOIS ELEVADORES? Contei pra todo mundo, mas esqueci de escrever, tsc.
    E ~correge~ o nome do meu blog, é Imaginalinda.
    Ia escrever “e ainda escrevi o twit com você deitada ao meu lado na cama” mas ia soar muito Lannister e nós não jogamos a Taty pela janela. (Socorro, que vontade de rir dessa piada mas agora não posso e tenho que fazer a egípcia.)

  • Reply Isabele 24 de maio de 2016 at 16:44

    Nhooooiiii… que post mais amor. Deu pra sentir a vibe do bem que foi o encontrinho. Quero um tambéeeeeeeem!!!!!
    Andar de metrô em SP realmente é bem louco na primeira vez. E olha que eu sou ratona de transporte público. rsrs
    Quero copiar esse foto dos shakes. Adorei!!!!!

    BJS

  • Reply Luh 24 de maio de 2016 at 22:46

    Vou repetir esse início de comentário nos três blogs: gostaria de dizer que abri duas janelas do chrome para fazer esse comentário, uma pra ir acompanhando cada ponto do texto que eu queira comentar e outra com a caixinha de comentários. A coisa é séria!
    Admiro sua filosofia quanto a amizades, viu?! Estou cada vez mais mudando meu jeito de ser e indo pra esse caminho mais livre, com menos cobranças, mas isso porque já fui muito apegada e sofri desnecessariamente com essas coisas (até porque eu fazia pelas pessoas coisas que depois elas não fizeram de volta por mim). Enfim, acho lindo que a gente tenha conseguido estabelecer essa relação mais próxima umas com as outras mesmo com a distância.
    Você tocou num ponto curioso: a gente usa o termo “virtual”, mas ele é meio inadequado pra amizade que a gente criou, né?! Por mais que ele esteja relacionado a internet, “virtual” é algo que não existe no mundo real, né?! E nós sempre fomos amigas reais.
    Você brincou com publi dos brindes e eu me lembrei da questão que eu levantei no Ibira: o nome dos nossos fandoms. Pode ser arriscado, mas tenho sugestões: “imaginalindos” é o mais óbvio; “embelezados” pra Taty; “perfumáticos do meu coração” – sim, fui longe; e pro seu, pensei em brincar com seu nome, tipo “livonáticos”. São só sugestões, mas acho que podemos chamar as fãs pro próximo encontrinho.
    Desculpa, viajei loucamente, voltemos à programação normal.
    AMEI que você comparou meu quarto com a galeria dos espelhos em Versalhes, casa comigo?
    Uma correção: a Fera supostamente vira um cara chamado “príncipe Adam”. Você confundiu com o banana (mais que Stefan) do Eric da Ariel, pior príncipe da história.
    Eu ouvia vocês falando de chocolate, mas não sabia que o Anselmo tinha deixado bombons da Cacau Show pra vocês no apartamento! Que fofo, gente!
    Das descobertas desse fim de semana: a voz de uma Lívia rouca graças a cigarro = a voz da minha prima de terceiro grau.
    De fato, a calmaria do Black Dog foi ótima depois de termos enfrentado a Liberdade tão lotada quanto estava. E a fome também era muita, tanto que Tatiénne comeu o lanche todo! hahaha
    Já te falei no twitter, mas minha amiga ficou toda feliz de ter saído no seu post e de ter ajudado a gente de alguma forma =D
    Eu compraria certas livrarias e moraria dentro delas. Se a gente tivesse ido na Cultura do Conjunto Nacional vocês teriam visto uns ataques bem piores HAHAHA. Ficará para a próxima, sem falta! Aquele lugar é lindo <3
    Repetindo o que disse no post da Patthy: achei fofo que vocês ficaram preocupadas de perder a gente na multidão <3
    Estacionar é MUITO pior que dirigir, nossinhora! Principalmente quando tem gente olhando, né, moço aleatório do shopping?!
    Enfim, vou parando por aqui porque já praticamente esgotei o seu post e porque esse comentário tá GIGANTE hahaha

    • Reply Patthy 25 de maio de 2016 at 10:15

      Basta eu replicar os comentários no meu blog, nope, vou replicar o comentário dazamiga no blog dazotra.
      Passei só pra comentar que não vi A Pequena Sereia e portanto não sei quão banana é o príncipe Eric, mas quão pior é do que Sua Alteza Real Necrófilo Encantado (a.k.a. o da Branca de Neve)? #problematizandoDisney
      Enfim (sem veremos) sempre encarei que o adjetivo “virtual” se referia ao meio de comunicação. Podemos adotar WEBAMIZADE ou CYBERAMIZADE se vocês acharem adequado. =B
      VOU ADOTAR IMAGINALINDOS NOS MEUS POSTS, BEIJOS. (E pro Belivs eu tinha pensado em algo como believers mesmo.)

      • Reply Luh 25 de maio de 2016 at 14:51

        O problema é que o príncipe da Branca de Neve ao menos quase não aparece no filme. O Eric aparece e só faz merda. Aqui vai um spoiler, mas ele sequer reconhece a moça que o salvou e acha que tá apaixonado por outra. É meio estranho quando explicado dessa forma, só vai fazer sentido quando você assistir ao filme, mas enfim…
        Believers ia confundir com as fãs do Justin Bieber na ora de pronunciar, é complicado.

      • Reply Patthy 25 de maio de 2016 at 16:16

        Antes que eu me esqueça: depois me cobrem de falar a respeito de uma ideia de bandipost.
        “Quando você assistir ao filme” a.k.a. nunca, né? =B Eu sempre achei o cabelo da Ariel lindo, mas a história do filme nunca me atraiu. (Prefiro o conto original #hipster)
        Enfim, não sei se o fato do príncipe da Branca de Neve aparecer pouco melhora o lado dele. (Embora não possa comparar com o Eric, pois não vi o filme e não sou capaz de opinar.) Quer dizer, em poucos instantes de filmes temos apenas três dados sobre ele: 1. ele é da realeza, 2. ele sabe andar a cavalo, 3. ele é chegado em beijar gente morta. HAHAHAHA

  • Reply Nicas 26 de maio de 2016 at 14:51

    Acabei de vir do post da Taty e contei pra ela que eu tambpem tenho um grupo de 4 amigas (!) que conehci via blogs (!) em 2003 (!) e que moramos em estados diferentes e nunca conseguimos ter esse encontro como e de vocês, então eu vibrei com cada detalhes, eu sei o quanto é importante tornar isso real!

  • Reply Lu Cruz 27 de maio de 2016 at 11:22

    Que delícia! Acompanho você e a Taty há um tempo já, e adorei “conhecer” as duas outras moças 🙂 Eu nunca tive a oportunidade de fazer um encontro assim, mas deve ter sido realmente maravilhoso! Tem tanta gente que quero conhecer pessoalmente. Turistar em São Paulo é uma delícia. Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

  • Reply Tatiana 29 de maio de 2016 at 14:08

    Eu também já fui como a Luh e sempre esperar das pessoas o mesmo que eu fazia pra elas, mas hoje também estou sendo mais livre nesse quesito. Não forço mais as coisas, sabe? Tenho muitos amigos nesse esquema de que podemos ficar meses sem nos falarmos que quando nos falamos é como se nada tivesse mudado e isso é a melhor coisa, é o que eu tento manter. Sem contar que sempre que preciso sei com quem posso contar. <3
    Fico muito feliz que nossa amizade (de nós 4) funcione desse jeito e mesmo quando passamos dias sem tempo de criar um mailchat, quando criamos mandamos trocentos emails e nos divertidos da mesma forma. E não poderia ter sido mais mágico pessoalmente, né? Fico imaginando como seria se pudéssemos fazer isso todo fim de semana. Acho que seria sempre essa palhaçada toda. hahaha E realmente, o estranho foi que não foi estranho de forma alguma, foi como um fim de semana normal, como se isso sempre acontecesse. Não poderia ter sido melhor. <3

  • Reply Bia 7 de junho de 2016 at 20:23

    Olha só que legaaaal! Só falta a gente se conhecer! Hahahaha estamos sempre na mesma cidade e não nos vimos ainda! 🙁 Vamos marcar alguma coisaaaaa! Nem que seja um café no shopping ou algo do tipo! Seria mto legal se rolasse todas as meninas da nossa época de blog nos encontrarmos!

    bjão!

  • Leave a Reply