Diário

Por que eu blogo?

Alguns posts na vida são difíceis de serem escritos. Às vezes a gente senta para escrever e as palavras não vem, me fogem. Isso tem acontecido com uma frequência e intensidade inimaginável pra mim. É como se eu tivesse pensamentos demais e não conseguisse distingui-los uns dos outros. Em meio à procrastinação e a derrota pela dificuldade eu acabava por adormecer e deixar para depois.. sempre depois.

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

(fonte)(fonte)

Mas não foi isso que aconteceu quando digitei o título desse post nos meus rascunhos. Tudo porque quando paro e penso nos motivos para ter um blog, nos meus motivos para blogar, tenho uma certeza absurda do óbvio: eu tenho um blog porque eu amo escrever. É clichê, mas a palavra escrita é minha válvula de escape.
Para alguém que tem dificuldades com interação social, é um alívio poder digitar, ler, apagar, revisar, editar e analisar as palavras inúmeras vezes antes delas serem de fato ditas. A palavra falada é difícil. Não tem volta. não tem ctrl+z que desfaça uma ofensa proferida ou um gracejo mal-entendido.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Não que a palavra escrita seja fácil. Ela não é. Mas eu preciso escrever para limpar minha mente. Engraçado. É quase um paradoxo dizer que nem sempre eu consigo escrever quando minha mente está cheia mas que eu preciso escrever para poder esvaziá-la. Mas é nessa antítese que me acho.
E é nesse meio em que o blog então me funciona como uma penseira: é nele em que eu deposito meus pensamentos e minha lembranças mais profundas. Não como um arquivo morto que fica esquecido e só é resgatado para ser destruído, mas como uma caixa de sapato cheia de recortes, cartas, fotos e bilhetes que é aberta sempre que se quer trazer memórias de volta à superfície.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
– não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Eu gosto de reler o que escrevo. Eu gosto de ver como me permito ter opiniões diferentes depois de alguns anos de vivência ou como me permito ter exatamente o mesmo ponto de vista mesmo depois de olhar as mais diversas perspectivas.

Quando alguém se identifica com o que escrevo, as borboletas fazem festa no meu estômago. Quando algo que postei ajuda de alguma forma alguém a se enxergar diferente, eu me realizo. Porque no final dos contas eu escrevo pra mim mesma, mas quando os outros leem… ah, quando os outros leem! <3

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
– mais nada.

Escrevo porque é isso que sei fazer. Publico porque é assim que tenho voz. E um dia quando eu meu calar, as palavras escritas permanecerão eternas e estarão lá para me representar.
Porque quando tudo acabar, a palavra terá sido sempre o começo (e o fim).

Um beijo e obrigada por lerem meu canto…

Longe de mim me achar a Cecilia Meireles, mas não consegui ler esse post da Kah(minha inspiração para este que vocês acabaram de ler) e não responder com “eu ‘escrevo’ porque o instante existe”, por isso trouxe esse poema maravilhoso dela no meio do meu texto.

Aliás, depois de um longo hiato, nossa diva fotógrafa está de volta, prestigiem o Coffee, Rock and Beer, por favor <3

 

P.S.: Ó, não é desculpa mas revirei a internet e não achei o site original da foto então linkei o blog de onde a salvei mas, ó, se souberem, me avisem, por favor.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

9 Comments

  • Reply Luly 12 de julho de 2016 at 19:01

    Para tudo que eu tô me identificando tanto com esse post que tá difícil comentar, você já disse tudo! Tudo! TUDO!
    Amei essa definição de blog como uma “penseira”. Acho que eu sinto o mesmo. É maravilhoso tem um lugar seu com a sua cara onde tudo o que você sente pode estar expresso através de palavras, e aí as pessoas vão ler e saber como é e comentar e o melhor: você mesma pode fazer isso! Sempre! Todos os dias. Sempre que precisar de si mesma é aqui que você vai se encontrar, simples assim!
    E é por isso que continuaremos blogando, sempre!

  • Reply Maly 13 de julho de 2016 at 11:02

    Acho que todo mundo tem um bloqueio… É difícil dar o primeiro passo e começar a escrever. Mas, sim, depois que a gente senta e começa, tudo é uma delícia. A escolha das palavras, as imagens certas, edição. Também amo escrever (sou jornalista, afinal), mas dar o primeiro passo às vezes é difícil. Me identifico.

  • Reply KARINE 13 de julho de 2016 at 16:46

    ahhh, sua linda! adorei o post e não achei nada pretensioso, viu? É maravilhoso como escrever pode ser uma forma de organizar a mente e você faz isso muito bem <3

  • Reply Isabele 14 de julho de 2016 at 13:56

    Que post lindo, Livs. Escrever é um prazer que poucos entendem.
    Parece que a gente tira um peso das costas.
    Escreva sempre que quiser. Lerei com gosto. 🙂

    Bjs

  • Reply Patthy 15 de julho de 2016 at 10:39

    Escrever tem o benefício de poder ser relido. Quando confiamos em nossas memórias, com o tempo nossa mente começa a editá-las. Por mais bestas que sejam as coisas que escrevi anteriormente, não me envergonho. Elas foram necessárias para que eu me tornasse quem sou hoje. Não que eu seja NOOOOOSSA “A” ESCRITORA MARAVILHOSA, mas gosto de pensar que meu eu atual é sempre a melhor versão de mim até o momento.
    Acho que a dificuldade de escrever com a cabeça cheia não é porque as palavras não querem sair – mas porque elas querem sair todas de uma vez.

  • Reply Thay 16 de julho de 2016 at 19:04

    Acho que eu poderia só assinar no final que é isso aí, concordo com tudo! Blogar é uma maneira de me manter escrevendo, registrando, guardando memórias. Também gosto de revisitar meus escritos, ler as coisas antigas e notar como mudei de ideia, evoluí ou amadureci um pensamento. Escrever é uma coisa maravilhosa. <3

  • Reply Bia 25 de julho de 2016 at 09:21

    Eu tbm tenho blog pq curto escrever e pq as vezes vem um ânimo que não sei explicar… Mas só sei que dá uma vontade LOUCA de postar! hahaha parece que liberta, me sinto melhor!!
    Te entendo e me identifico, ainda mais pra vc que agora está indo para a área da escrita!

    bjão!

  • Reply Lu Cruz 1 de agosto de 2016 at 21:12

    “Quando alguém se identifica com o que escrevo, as borboletas fazem festa no meu estômago. Quando algo que postei ajuda de alguma forma alguém a se enxergar diferente, eu me realizo. ” Garota, acho que foi minha frase favorita sobre blogar, da vida! Sério, transmitiu em palavras exatamente o que eu sinto 🙂 Todo esse seu cuidado em esvaziar sua mente de uma maneira tão gostosa, faz com que a gente ame tanto o Belivs! Beijos!
    Blog Vintee5 | Canal Vintee5

  • Reply O melhor de Junho e Julho – BeLivs 20 de dezembro de 2016 at 07:55

    […] texto gracinha contando meus motivos para blogar, vocês […]

  • Leave a Reply