Browsing Tag

Limeira

Diário, Vegetarianismo

Primeira Limeira Veg

No último sábado, dia 30, completei 5 meses sem comer carne. É pouquíssimo tempo se eu comparar com a vida toda que passei consumindo esse tipo de alimentação, mas é um começo.
Por coincidência no dia seguinte aconteceu a Limeira Veg, primeira versão de uma feira vegana lá na terrinha do meu namorado. Parte da arrecadação do evento (10% de cada barraca) foi revertida para a ALPA, uma ONG que admiro muito. Claro que eu não poderia deixar de ir, né? Limeira é uma cidade do interior, a cerca de 150km da capital, pertinho de Piracicaba. Extremamente quente no verão, mas incrivelmente acolhedora. Não tenho como negar o quanto gosto de lá <3

É importante frisar aqui que sou ovo-lacto-vegetariana, ou seja: não como carne, mas ainda consumo ovos, leite e derivados. O vegetariano estrito não come carne, nem consome ovos, leite e derivados. E o vegano não consome nenhum produto proveniente de animal, sendo alimentação, vestuário, cosméticos… é uma escolha de vida, não só alimentar. Aqui tem um texto ótimo explicando os diferentes tipos de vegetarianismo.

Segundo informações no site da Prefeitura de Limeira, cerca de 8 mil pessoas passaram por lá (mesmo naquele calor dos infernos rs). Eu nunca tinha tido oportunidade de visitar algum evento deste tipo e fiquei encantada. Daniel e eu até comentamos da vibe das pessoas que passaram por lá: uma coisa despreocupada, meio hippie, bicho-grilo, entende? E um público de todas as idades. Tinham idosos e muuuuitos jovens. Sempre que paro e penso em consumo consciente entendo que a nossa geração, dos vinte e poucos (ou vinte e tantos) anos é que tem a maior noção disso, o futuro está em nós, sabe? Enfim, just thoughts.

Na feira tinham 22 estandes com vários tipos de produtos: alimentos prontos e congelados, vegetais orgânicos, cosméticos veganos, sucos prensados a frio e uma infinidade de outras opções. Os preços eram bem ok pra quem já está acostumado a consumir itens saudáveis/orgânicos (ou seja: mais caros do que o de produtos normais, mas acessíveis). Paguei R$6 em um copo de chopp e R$15 em um pote de geléia de uva orgânica.
Também havia um palco onde rolaram algumas palestras, além de uma apresentação da Orquestra Sinfônica de Limeira e várias oficinas (queria muito ter participado da de yoga, mimimi).

Limeira Veg - Área de picnic da ALPA

Área de picnic da ALPA – queria levar a bike pra casa <3

Quanto à organização, como a feira aconteceu no jardim do prédio da Prefeitura, o Edifício Prada, senti falta de sombra porque o calor limeirense não dá trela. E também de placas maiores indicando qual barraca era o quê, folhetos explicativos, coisas assim. Ah! Também fiquei chateada que quando cheguei já não tinha mais cupcakes e outros docinhos veganos que eu queria experimentar (mas terei outras chances, com certeza! e nesse ponto a culpa foi minha por ter ido “tarde”). De qualquer forma, foi um ótimo pontapé inicial, eu não poderia imaginar a Limeira Veg sendo melhor.

 

Um evento desses é importante não só pra divulgar os empreendedores que investem nesse tipo de negócio como também é a oportunidade para quem nunca teve contato com o vegetarianismo e o veganismo entender que uma alimentação que não tem a proteína animal como base pode ser incrivelmente gostosa, com sabores que meu paladar carnívoro jamais iria conhecer.  Além, é claro, de mostrar que nós não vivemos só de água e alface 🙂  Mas sua maior relevância é a de gerar uma consciência de que é totalmente possível seguir esse estilo de vida que já existe há muito tempo e que está ao alcance de qualquer um quebrar o paradigma de que precisamos de carne para viver.

Espero de coração que tenhamos uma segunda edição. Não sou nascida em Limeira, mas fiquei orgulhosa por aqueles que são. Um super parabéns a todos os envolvidos na Limeira Veg, eu não esperava de forma alguma ver tanta gente por lá como vi. No que depender de mim, quero cada vez mais prestigiar esses eventos e entender um pouco mais sobre esse estilo de vida vegano para quem sabe um dia não muito distante, segui-lo (e, claro: poder contar o processo todinho por aqui).

Limeira Veg - Bonito o pátio da Prefeitura, né?

Bonito o pátio da Prefeitura, né? Olha só o pessoal tentando se esconder do sol…

Agora quero saber: tem feiras desse tipo – alimentos saudáveis, orgânicos ou veganos – na cidade de vocês? Me contem tudo pra que eu conheça um pouquinho melhor e quem sabe possa prestigiar mais de perto 😉

Um beijo!

Durante minhas pesquisas para escrever este post, cheguei ao relato da Alice sobre este evento (cheio de fotos), vale a pena dar uma conferida também 🙂

Cinema & TV, Diário

Um pouquinho de tudo

Pois é, fiquei de novo um tempão sem postar. Não vou nem tentar me justificar mas, vejam bem: trabalho na frente de um computador o dia todinho, todos os dias, das 7h às 17h, pelo menos. Quando chego em casa, quero fazer tudo menos ficar na frente do notebook (a única exceção é quando converso com o namorado via Skype, o salvador de namoros à distância heh). Outro ponto é que a minha rotina na firrrma anda bastante puxada, então não consigo nem dar aquela escapadinha básica pra planejar algo pra postar por aqui. Mas decidi que vou mudar isso! Afinal: isso é ou não um blog pessoal, pô? =P

Meus últimos dias foram ótimos pra dar uma desestressadinha básica. Passei mais um final de semana em Limeira, que apesar de ter sido bem cheio, me ajudou a descansar.
Na sexta-feira fomos ao Lanchão (como eu adoro aquele lugar!) roliçar. O cardápio foi o habitual: batata frita e Laracreme (suco de laranja batido com uma bola de sorvete de creme, sério, fica incrível). Inclusive preciso fazer um post sobre Limeira pra vocês, parecido com os de Jundiaí e São Paulo.
Eu gosto de ir pro interior porque parece que o tempo passa mais devagar, as pessoas se preocupam menos… enfim, não sei pensaria o mesmo se morasse lá, mas como não moro, relaxo quando vou pra casa do namorado.
Aproveitamos também e fomos no cinema para assistir Divertidamente. Costumo levar o Daniel no Cinépolis e sempre ouço ele dizer que os cinemas da cidade dele são fraquinhos em comparação com esse cinema no Jundiaí Shopping, mas gostei bastante do Centerplex do Shopping Center Limeira (ele também nunca tinha ido). Inclusive eles tem uma promoção bem boa aos sábados: sessões até as 15h tem preço único de R$11 (em Junds sai por volta de R$20 a inteira). Enfim, gostei bastante do desenho da Pixar (me emocionei com o curta do vulcão no comecinho </3 ownti), mas das minhas últimas idas no cinema, fico como Cidades de Papel como a melhor estreia. Fui ver com a Kátia, logo que começou a passar, e me encantei com a história. Uma pena que eu não tenha lido o livro, porque acho que talvez eu teria aproveitado ainda mais o filme, mas já entrou na lista pra ser revisto.
Falando em livros que viraram filme, esse mês comecei a ler “Nós”, livro mais recente do David Nicholls, mesmo autor de “Um Dia” (que eu sempre enrolo pra assistir porque quero ler o livro antes mas não leio o livro porque sempre tem outro na frente). Acabei escolhendo ler esta outra história do autor por conta da sinopse. O livro trata da história do casamento de Douglas e Connie, que estão juntos há mais de 20 anos, mas que estão passando por uma crise. O casal (que mora em Londres <3) tem uma viagem marcada junto com seu filho de 18 anos para a Europa. Me animei a ler porque imaginei reviver a minha própria viagem (inclusive to devendo posts sobre ela, né?). Ainda estou na metade do livro, quando terminar volto aqui pra resenhar (pronto, resenhei!) mas já tenho certeza de que vou gostar, a escrita do David está me surpreendendo e com certeza vou ler outros livros dele.

No sábado fomos a uma festa julina deliciosa dos amigos do Daniel. Ô povo animado! Eles fazem festa quase todo mês, sempre temáticas. Já teve festa do brega, Halloween, baile do Havaí… adoro gente que se anima fácil assim! Não lembro há quanto tempo eu não dançava quadrilha mas, olha, ainda que meio a contragosto foi bem bacana. E tinha vinho quente, né? E vinho >>> vocês tudo.

No mais, continuo fazendo maratona de Chicago Fire, to indo pro final da segunda temporada, e estou tentando dar uma limpada em coisas que não estão mais em uso lá em casa. Aliás, estou vendendo minhas revistas Plastic Dreams, da Melissa, alguém quer? heh

O que vocês tem feito nesses últimos dias? Aqui o friozinho veio de jeito mas já foi embora (uma pena, porque eu adoro o frio), de qualquer forma meu edredom continua sendo meu melhor amigo noturno =P
E não é porque sumi por alguns dias que é pra vocês se esquecerem de mim, tá bem? Então tá bem XD

Cinema & TV, Diário, Literatura

Eita carnaval bom!

Ok, ok, eu sei. Eu tava indo num ritmo tão bom de postagens até que já era: fiquei uma semana sem postar. Mas eu decidi curtir esse feriadão offline e não é que valeu muito a pena?

Meu namorado é de Limeira e não sei se vocês estão sabendo mas a cidade tá em meio a um surto de dengue gigantesco. Com a sorte que ele tem, obviamente contraiu a doença 🙁 Então de tudo que tínhamos planejado, acabamos só cumprindo a parte de ficar largados na sala vendo TV heh (e, não, não acho que isso tenha sido ruim!).

Aproveitei para terminar de ler O Código da Vinci, de Dan Brown e cumpri o primeiro item da minha lista de leitura de 2015 o/ Não farei uma resenha detalhada (tô um pouco atrasada, né, gente), mas simplesmente amei o livro! Demorei muito pra ler mas quando a leitura engrenou, não consegui mais parar (coitado do Daniel). Aliás, nunca foi o foco do meu blog discutir religião, coisa e tal, mas eu sou católica (praticante, bem carola rs) e não me senti ofendida at all com o livro. Acho sinceramente que o pessoal faz drama demais, sabe? Pensei em ler os outros livros com o Langdon mas me avisaram que são muito parecidos e que esse é o melhor, confere? É isso mesmo, produção?
Outro livro que li em incriveis dois dias (!) foi o lindo do Meu Nome é Memória, da Ann Brashares. Esse vai merecer um post especial aqui no BeLivs mas já adianto que entrou pro meu hall de preferidos pra vida inteira (btw, também estava na minha lista pra 2015, que orgulho!).

Fora as leituras, aproveitei pra ver um dos filmes preferidos do namorado, Gladiador (nunca tinha visto, acreditam?). Fiquei encantada! A história é ótima, emocionante, e as paisagens, OMG! Já quero passear pelo Coliseu pra ontem *-* Só tive um problema com o filme: estou acostumada com esse tipo de história e de guerra contadas através de Game of Thrones (o seriado, ainda não li os livros) e, por isso, esperava mais sangue. Acho que GoT me deixou insensível a esse tipo de cena =P

Outro ponto alto foi o almoço na casa da vó Nena. Ela fez nhoque o qual, segundo o Daniel, foi o que salvou ele da fraqueza, tadinho! Ainda bem que depois do almoço de domingo ele melhorou quase totalmente da dengue e pudemos ir pra Limeira (não sem antes passar no Outlet Premium e comprar minha mochila maravilinda da Olynpukus que eu namoro há eeeeeras).

Já na capital estadual da dengue (tá, parei com exagero) fomos comer o delicioso pastel da dona Tereza <3 pensa num pastel amarelinho, sequinho, com queijo extremamente derretido no meio =9 me dá água na boca só de pensar! #gordices
Ao voltar de lá, saindo da rodoviária, encontrei minha amiga Kátia que passou a quarta-feira comigo. Aliás, como disse no twitter: preciso fazer um post pra vocês contando tudo que vejo/ouço nas rodoviárias pelas quais tenho passado. Boas histórias, viu?

Como já tínhamos comprado ingresso há algum tempo, fui com ela no cinema ver Cinquenta Tons de Cinza. Quer saber? Não achei o filme tão ruim como estão falando, não! É raso e superficial (como o livro), tem diálogos fracos (igual ao livro) mas me divertiu. Micro-spoiler: as tão faladas cenas de sexo não são nada tão demais assim. Me lembro de ter visto coisas bem semelhantes em novelas/séries da Globo e cenas bem parecidas em Game of Thrones, por exemplo.

E foi bem assim que usei esses 5 dias incríveis pra repor as energias (que precisam durar mais 3 meses porque só saio de férias em maio, socorro!).

E o Carnaval de vocês? Foram curtir na pixxxta ou fizeram como eu? Contaí!

P.S.: vocês gostam de post estilo diarinho assim? Adoro fazer, mas queria saber se é interessante pra quem está lendo também. Me digam, tá?